Watchmen chega aos cinemas como uma das adaptações mais fiéis

Toda vez que um diretor vem com a idéia de adaptar um roteiro dos quadrinhos, a primeira reação é medo. São tantas histórias boas que já se transformaram em atuação de gosto duvidoso, que fica difícil acreditar que os diretores realmente ligam para as histórias originais.

Watchmen, que está prestes a sair, felizmente não se encaixa nessa descrição. A obra tem pouco mais de 2h30 de duração e mostra uma fidelidade bem aceitável para a maioria dos fãs das histórias, e isso inclui texto e fotografia. O que pode não ser tão interessante para quem está fora do universo dos comics.

É o mesmo caso de Sin City. Quem não conhecia a obra saiu com um gosto estranho na boca, assustados com o tom de violência que funciona como combustível para a Trama. Nesse ponto, Watchmen não é muito diferente. Apesar de todo o esforço para localizar bem os “não iniciados”, a história e as interpretações ainda continuam com o ar de “piada interna”. Claro, de piada não tem nada, mas o termo cai bem para identificar algo que só os fãs vão entender 100%.


A história reúne um grupo de vigilantes que estavam praticamente fora de atividade. Em 1985, o governo acabou com a “farra dos mascarados”, impondo leis que proibiam a atuação desses heróis. Apenas aqueles que trabalham para o exército, que enfrenta uma crise nuclear, podem atuar pelos EUA. A coisa muda de figura quando um deles é brutalmente assassinado. Quando a polícia diz não ter as respostas, Rorschach, o detetive do grupo, descobre um plano para acabar com os mascarados.914_m

A conclusão do filme foi uma solução interessante, mas contar estragaria o todo o prazer de quem está louco para ver a estréia. Ele é um pouco diferente do que os fãs esperam, mas nem por isso deixa a desejar.

Vale ver?

A comparação com Sin City é inevitável. Não por causa da violência, mas pelo tipo de arte apresentada. Ela foge dos padrões de Hollywood. Quando Alan Moore e Dave Gibbons lançaram as revistas em 1986, pela DC Comics, até o formato era diferente do tradicional. Vigilantes com sérios dramas pessoais que apresentavam mais diálogos do que ação.

Vale ver, mas não espere nenhum Homem-Aranha ou Iron Man. Watchmen tem uma pegada bem alternativa e Cult, repleta de dramas pessoais e temperada com ótimas imagens.

 

**Amanda**

**Amanda**

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: